Viva com Energia

Quando a mente se acha dominada por pensamentos desta espécie, a consequência é um elevado nível de vigor”.

06/11/2021 09H09

foto: Divulgação/arquivo pessoal

Luís Irajá Nogueira de Sá Júnior

Advogado no Paraná - Palestrante

Professor do Curso de Direito da UNIPAR

iraja@prof.unipar.br

 

Norman Vincent Peale (1.898 – 1.993), foi um pastor e escritor americano de teorias sobre o pensamento positivo. Tornou-se popular nos Estados Unidos por constantes aparições nos jornais, rádios e televisão. Seu programa diário arrebanhava milhões de ouvintes. É dele a frase: “Um fluxo constante de energia desenvolve-se quando se cultivam pensamentos de esperança, confiança, positividade e boa vontade. Quando a mente se acha dominada por pensamentos desta espécie, a consequência é um elevado nível de vigor”.

É surpreendente, nos dias atuais, o número de pessoas cansadas e desanimadas. Muitos dão a impressão de se arrastarem, com as mãos e os joelhos, pela vida. Meio vivo e meio morto. É possível viver sem cansaço ou fadiga? É possível conservar a energia e a vitalidade? Creio que sim. O universo inteiro está cheio de energia renovável. Visto como a energia se mantém firme por si mesma no mundo natural, devemos crer que assim também deve ser em nossas vidas. Por esta razão, viva com energia.

 Em tempos de pandemia, o medo assombrou incontáveis famílias. Muitos encontraram subterfúgios na bebida para combater o cansaço ou a fadiga (repor as energias). Eis o grande equívoco. Bebericar socialmente é saudável. Descontrai. Todavia, fazer desses encontros esporádicos, hábitos diários e costumeiros, para suportar a convivência familiar, combater a fadiga, a insegurança, o medo e a desconfiança, é enveredar por caminho sem volta. É alarmante o índice de aumento do alcoolismo (nas famílias) durante a pandemia. Causa perplexidade o número de mulheres alcóolatras nesse período. Logo, estamos assistindo à degradação da família (por aumento da violência intrafamiliar: feminicídio, abuso sexual, maus tratos aos idosos, aumento do número de divórcios, etc). Este caminho, como se vê, não serve!

As tribulações da vida estão tirando o vigor das pessoas. Ao que parece, a mente fica possuída pelos conflitos e confusões do mundo. A manutenção da energia e a ausência de cansaço dependem de estarmos conectados na frequência natural do universo. Esta identificação da personalidade com o compasso regular e com o ritmo basicamente inerente à vida é um dos meios mais seguros de se eliminar a fadiga destrutiva.

A constante excitação das emoções, mais a superestimulação pela pressa e exaltação ao ódio pesam muito sobre o suprimento de energia, mais do que nossos recursos naturais podem suprir-nos e abastecer-nos. Ou seja, se a pessoa vive em desequilíbrios e cria tensões, acaba por perder força e energia. Contudo, se viver num ritmo harmonioso, reduzirá a tensão e, automaticamente, renovará a energia e a vitalidade. Simples assim!

É preciso entender que boa parte de nosso cansaço se origina na mente. Ficamos cansados quando nossos pensamentos se cansam. Emerson diz: “Se quiser manter a energia positiva do corpo, elimine o habito de queixar-se, fazendo declarações como estas: estou cansado; tenho coisas demais para fazer; estou exausto; estou esgotado. Estes pensamentos de cansaço e estas afirmações derrotistas tendem a transmitir-se ao subconsciente e acabam por reproduzir-se em reações de cansaço”.

 Norman Vincent Peale nos ensina que “É preciso compreender que a energia naufraga quando seus pensamentos naufragam. Portanto, com toda vigilância, mantenha seu pensamento sempre alerta”. Assim, o segredo da energia positiva contínua em nosso corpo está em “esvaziar” a mente de pensamentos e atitudes que causam fadiga, e, preencher a mente com pensamentos cheios de energia reconstrutiva e de dinamismos, existentes no universo divino. 

Veja Mais