VIRTUDE E ÉTICA: SINAIS DE EXCELÊNCIA EM HOMENS DE CARÁTER

A virtude está ligada à busca humana por uma vida mais equilibrada e alinhada com o que há de positivo. Ser virtuoso é sinônimo de ser alguém com uma boa essência, um indivíduo que realiza boas ações motivadas por sua índole.

07/11/2020 17H35

foto: Divulgação

Luís Irajá Nogueira de Sá Júnior

Advogado no Paraná - Palestrante

Professor do Curso de Direito da UNIPAR 

iraja@prof.unipar.br


Píndaro (522 a.C – 443 a.C), foi um importante poeta lírico e autor de várias obras. Descendentes dos Átridas, chegou aos 10 anos a Atenas onde aprendeu música com grandes mestres. Estudou em Delfos e Edina, colhendo as tradições que o fizeram brilhar na vida artística. Seus cantos alcançaram grande fama em toda Grécia. Retratou temas da mitologia grega (deuses, heróis e mitos), além dos Jogos Olímpicos, enfatizando a vitória dos atletas e o heroico espírito olímpico. A ele se atribui a célebre frase: “Homem, torna-te no que és.” 

A virtude está ligada à busca humana por uma vida mais equilibrada e alinhada com o que há de positivo. Ser virtuoso é sinônimo de ser alguém com uma boa essência, um indivíduo que realiza boas ações motivadas por sua índole. Está vinculado à formação do caráter. Ensina São Pedro Apóstolo que só é possível crescer nas virtudes se houver esforço, ou seja, não é uma coisa automática em nossas vidas. Diz Ele: “São virtudes do homem de caráter: a fortaleza, o conhecimento de Deus, o domínio próprio, a perseverança, a piedade, a fraternidade e o amor.” Em síntese, são hábitos capazes de levar alguém à excelência, ao que há de melhor na condição humana. Dentre os hábitos virtuosos se destacam também: a justiça, a persistência, o otimismo, a humildade, a bondade, a compaixão, a empatia, o perdão, a honestidade, a disciplina e a coragem. Assevera Aristóteles: “O bem do homem vem a ser uma atividade da alma de conformidade com a virtude, sendo a virtude em resumo a ‘posição intermediária’ que é a excelência no caráter.”

A virtude se contrapõe ao vício. Sendo assim, apenas para ilustrar as diferenças, podemos citar a ‘generosidade’ como virtude e seu extremo oposto, o ‘egoísmo’, como um vício. A ‘paciência’ também é uma virtude, tendo como seu oposto a ‘ira’, um vício.

Não há uma lista única e definitiva de virtudes humanas, Todavia, elas podem ser dividas em três áreas de interesse humano que se destacam em: Filosofia, Religião e Psicologia. A virtude filosófica tem em Platão seu maior artífice. Para Ele são Virtudes Cardeais: Prudência (sabedoria), Justiça, Temperança e Fortaleza (coragem e força). Aristóteles afirma que “a virtude está no meio.” O filósofo dizia que a virtude é o meio termo entre o muito e o pouco. Explica Ele que a coragem é uma virtude que fica entre os dois extremos, a imprudência (muito) e a covardia (pouco), ambos são vícios. Finaliza dizendo: “Aquele que é corajoso, não se arrisca sem um bom motivo, mas também não fica estagnado pelo seu medo.” As virtudes religiosas são frutos do espírito e contra elas não existe nenhuma lei. A Igreja Católica somou às quatro virtudes cardeais de Platão (fortaleza, prudência, temperança e justiça) três que são teológicas (fé, caridade e esperança). Outras religiões possuem suas próprias listas, e, quando comparadas tendem a ser muito semelhantes. Por fim, a virtude na psicologia é estudada no ramo denominado Psicologia Positiva, pois, considera seus adeptos que as virtudes estão diretamente ligadas à descrição do caráter de um indivíduo. Martin Seligman e Christopher Peterson, desenvolvedores desta teoria, listam seis grupos de virtudes: Temperança, Sabedoria, Coragem, Humanidade, Justiça e Transcendência.

Vale frisar que as virtudes não são universais, logo, devemos encontrar aquelas que nos ajudarão a tornar a vida mais feliz e a ser um indivíduo mais preparado para o mundo. Porém, uma coisa é certa, elas devem funcionar como um mecanismo para nos ligar às outras pessoas de maneira positiva, contribuindo para melhores resultados nas nossas relações. 

Ensina Píndaro: “Que somos? Que não somos? Efêmeros! O homem é o sonho de uma sombra. Mas quando os Deuses lançam sobre ele a luz, claro esplendor o envolve, e doce, então, é a vida.” Arremata dizendo: “Aqueles que seguem por caminhos sinuosos jamais poderão ser totalmente felizes.”

São virtudes plenamente satisfatórias aquelas que tem um bom reflexo nas pessoas que o cercam; são as qualidades e capacidades que nos fazem um alguém melhor para os seus amigos, familiares e até desconhecidos que cruzam nosso caminho e precisam de algum tipo de auxilio. Você tem servido o próximo e é caridoso? Pense nisto!