SOCIALISMO: IDEOLOGIA MACABRA E ASSASSINA

A história mostra que em todos os lugares onde os socialistas chegaram ao poder surgiu uma nova elite social ainda mais poderosa, mais opressora e mais corrupta do que os capitalistas que eles tiraram do poder.

09/05/2020 11H51

Luís Irajá Nogueira de Sá Júnior

Advogado no Paraná - Palestrante

Professor do Curso de Direito da UNIPAR 

iraja@prof.unipar.br


Maximilian karl Emil Weber (1864-1920), foi um intelectual, jurista, professor universitário, escritor e economista alemão considerado um dos fundadores da sociologia. Sua influência também pode ser sentida até hoje na economia, na filosofia, no direito, na ciência política e na administração. Começou sua carreira acadêmica na Universidade Humboldt de Berlim. Personagem influente na política alemã da época, foi consultor dos negociadores alemães no Tratado de Versalhes (tratado de paz) e da comissão encarregada de redigir a Constituição de Weimar. É sua a frase: “A idade não é decisiva; o que é decisivo é a inflexibilidade em ver as realidades da vida, e a capacidade de enfrentar essas realidades e corresponder a elas interiormente”.

Padre Paulo ensina que os socialistas pregam que vivemos em uma sociedade desigual e oprimidos pelos capitalistas, pois, no capitalismo temos os banqueiros no topo da pirâmide, se sobrepondo à classe trabalhadora e aos miseráveis. Todavia, com o surgimento do socialismo vai desaparecer a classe dos banqueiros bilionários e poderosos, que serão achatados até se igualarem aos trabalhadores e miseráveis. Por conseguinte, quem terá mais poderes do que os banqueiros com força suficiente para derrotá-los? Para empurrá-los à igualdade com a massa popular? Eu respondo: O Estado. 

Contudo, os políticos que comandarão o Estado socialista ficarão fora dessa igualdade, gozarão de privilégios incontáveis, ou seja, passarão a ser os novos membros da classe dominante e muito mais poderosa. Assumirão a posição de pressionar o povo no chão da pirâmide, no patamar de igualdade miserável em que se encontram.  Assim, teremos o Estado todo poderoso de um lado e de outro lado a massa popular composta por ex-banqueiros, trabalhadores em geral e miseráveis.

A história mostra que em todos os lugares onde os socialistas chegaram ao poder surgiu uma nova elite social ainda mais poderosa, mais opressora e mais corrupta do que os capitalistas que eles tiraram do poder. Veja o exemplo de Cuba. Lá existe uma elite social que desfruta de todos os prazeres que o luxo e o dinheiro podem proporcionar; enquanto a maioria dos cubanos vivem oprimidos e sem condições de suprir suas necessidades básicas. Recebem salário de fome. 

Na verdade, estamos diante de um grande engodo. Uma coisa é a propaganda que o socialismo faz de si mesmo, e, outra coisa é o socialismo real. O socialismo existe neste mundo há um século, e, no período foi possível constatar que nesse regime todos são iguais, porém, existirá sempre uma classe de “mais iguais”, como afirmou o escritor socialista George Orwell.

No socialismo, a exemplo da Venezuela e de Cuba, as milícias ganham poder e passam, em nome da ordem, a vigiar o comportamento do cidadão. Se for preciso, prendem, torturam e interrogam os indivíduos sem que haja o devido processo legal. Nos casos mais graves, levam os insurgentes (opositores do regime socialista) ao “paredão”, e, submete-os ao fuzilamento. Enquanto os “justiceiros” ficam à solta pelo país, a cúpula dos “mais iguais”, líderes do partido socialista, assaltam os cofres públicos. Misturam negócios particulares com os negócios do Estado, revelando a vertente mais sórdida da corrupção. Sob a alegação de interesse público, invadem propriedades particulares e se apropriam ilicitamente das empresas nacionais e multinacionais instaladas no país. Nesse aspecto, convém lembrar o recente episódio da Bolívia que tomou do Brasil a filial da Petrobras, e, nosso governante, à época, também comunista, aceitou passivamente a expropriação. Sabemos hoje, que tudo fazia parte de um grande acordo (foro de São Paulo).

Nesse diapasão, os membros da Suprema Corte de Justiça, das Casas Legislativas e do Exército são cooptados e, também desfrutam de privilégios, mas, porém, estes deverão se submeter ao jugo (ameaça) dos líderes do partido socialista, que tem sua força bélica junto às milícias. Esta é a lógica do sistema socialista. Ideologia macabra e assassina. No Brasil temos a experiência da força e poder dos milicianos que vivem nos morros do Rio de Janeiro. Acorda Brasil!

Max Weber ensina que “Somente quem tem a vocação da política terá certeza de não desmoronar quando o mundo, do seu ponto de vista, for demasiado estúpido ou demasiado mesquinho para o que ele deseja oferecer. Somente quem, frente a todas as dificuldades, pode dizer "Apesar de tudo!" tem a vocação para a política”. Pouco a pouco, sem que nós todos percebêssemos, os socialistas foram se apossando do Estado brasileiro. Aparelhando o Estado. Hoje não escondem de mais ninguém a pretensão macabra. Feito hienas, querem derrubar o Presidente a qualquer custo. Jair Bolsonaro rompeu o ciclo de implantação do comunismo no Brasil. Repetiu o feito de 1964, quando os comunistas liderados por Prestes se insurgiram contra o poder. Ele atrapalha os negócios da quadrilha. Nós vamos ajudá-lo ou vamos deixar os socialistas dominar nosso país? É preciso acordar do “coma profundo” em que vivemos antes que seja tarde demais. Lembre-se: o poder emana do povo.