Fé versus Medo: A Fé é o começo de toda grande realização e o Medo a sua destruição

a FÉ é a única força verdadeira pela qual um desejo pode ser transformado em uma crença, e, por sua vez, a crença transmuta-se em realidade.

26/09/2020 15H28

foto: Divulgação

Luís Irajá Nogueira de Sá Júnior

Advogado no Paraná - Palestrante

Professor do Curso de Direito da UNIPAR 

iraja@prof.unipar.br


São Pedro (1a.C. - 67), nasceu na Betsaida, na Galileia. Filho de Jonas e irmão do apóstolo André, seu nome de nascimento era Simão (ou Simeão). Pedro era pescador e trabalhava com o irmão e com o pai. Foi apóstolo de Cristo, um de seus primeiros discípulos. É considerado o fundador da Igreja Cristã de Roma e o seu primeiro papa. É dele a frase: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar”.

O mundo inteiro está passando por um momento de mudanças de tamanhas proporções que milhões de pessoas estão em estado constante de pânico, trazendo junto consigo preocupações, dúvidas, indecisões e, principalmente, medo. Creio que agora é o momento certo para todos aqueles que, por alguma razão, encontrarem-se naquele cruzamento da dúvida e da incerteza, mergulharem no seu mundo interior através da oração, da meditação, da reflexão e buscar a Fé em dias melhores. A pandemia vai passar, isso é certo, porém, será que estaremos prontos (física, mental, material, espiritual e financeiramente) para enfrentar a nova era que ressurgirá?

Napoleon Hill nos ensina que todos os que desejarem realizar tal tarefa acharão útil tirar uma lição da natureza. A observação mostrará que as estrelas eternas brilham todas as noites nos seus devidos lugares; que o Sol continua mandando seus raios de luz e calor, provendo a mãe natureza com abundância de comida e energia; que a água continua a correr da sua nascente na montanha; que os pássaros e os animais selvagens da floresta recebem condições adequadas e satisfatórias de alimento; que após o movimentado verão vem o inverno de calmaria; que as estações vem e vão exatamente como faziam antes da crise chegar; que na verdade somente as mentes dos homens deixaram de funcionar normalmente, e isso porque os homens preencheram suas mentes com o MEDO. Hill arremata dizendo que a observação desses simples fatos da vida cotidiana pode ser muito útil como um ponto de partida para todos aqueles que desejam suplantar o medo pela fé.

Todos possuem em si o poder de mudar seu estado espiritual, material ou financeiro, mas primeiro ele ou ela tem que mudar a natureza das suas crenças. Por conseguinte, a FÉ é a única força verdadeira pela qual um desejo pode ser transformado em uma crença, e, por sua vez, a crença transmuta-se em realidade.

Explica Hill que o estado de espírito conhecido como FÉ aparentemente abre o meio para um sexto sentido, através do qual se pode comunicar com fontes de poder e informações que ultrapassam e muito os nossos cinco sentidos. O desenvolvimento desse sexto sentido vem sempre para sua ajuda, e ele é na verdade uma estranha força que, vamos assumir, é um anjo da guarda que pode abrir para você, sempre que quiser, a porta para o templo da sabedoria. Hill prossegue explicando que o “sexto sentido” é a experiência mais próxima a que já cheguei de algo que se possa chamar de milagre, e ele aparece dessa forma talvez porque eu não entenda exatamente o método pelo qual esse princípio funciona. O que eu realmente sei é que existe uma força ou uma causa central primeira, ou uma inteligência que permeia cada átomo da matéria e faz parte de cada unidade de energia perceptível pelo homem; que essa infinita inteligência converte ramos em árvore, faz com que a água escorra dos montes em resposta à Lei da Gravidade, faz a noite após o dia, o inverno após o verão, cada um mantendo seu próprio lugar e funcionando de forma harmoniosa, bem como o relacionamento entre si. Hill finaliza sua explicação afirmando que essa inteligência ajuda a transformar desejos em formas concretas ou matérias. Tenho este conhecimento porque experimentei.

São Pedro nos adverte: “Aparte-se do mal, e faça o bem; Busque a paz, e siga-a”. Será que consigo detectar ao longo do ano quanto de minhas fraquezas consegui ultrapassar ou eliminar? Será que consigo calcular quanto progresso fiz durante o ano? Em que pese os temores e as incertezas que nos afligem a alma, devemos tirar exemplos de superação na natureza e buscar forças na fé, porta a nos mostrar caminhos para o fortalecimento físico, mental e espiritual. A mente age sempre de acordo com nossos desejos mais profundos e dominantes. Não há escapatória desse fato, isso é literalmente um fato. Tenha muito cuidado com o que você deseja de coração, porque por certo será seu. Pense nisso!