Energisa corta energia elétrica de moradores da invasão no Colibri

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Energisa corta energia elétrica de moradores da invasão no Colibri

foto: Moradores no Gabinete do Vereador Samuca/Câmara Municipal de Guarapuava

A Energisa de Guarapuava, fez solicitação judicial e cortou a energia elétrica nesta sexta-feira, 15,  dos moradores de uma invasão no Bairro Colibri.

Neste momento, mais de 150 pessoas (entre homens e mulhures) procuraram o gabinete do Vereador Samuca na Câmara de Vereadores, buscando auxilio na solução do problema, tendo em vista que o Bairro Colibri é um dos redutos eleitorais do vereador.

Samuca informou a este Blog Jnotícias que marcou uma reunião com o secretário de habitação Flávio Alexandre, para ouvir os moradores e buscar amenizar a situação. Pois, nem a Câmara e Prefeitura tem responsabilidade pelo corte, pois, foi a Energisa que entrou com uma ação judicial contra os moradores e efetuou o corte.

NOTA DA ENERGISA

Faz parte da rotina da empresa combater os furtos e fraudes de energia em toda sua concessão. Em Guarapuava, por exemplo, do início de 2017 até 1º junho de 2018, foram encontradas 49 irregularidades, recuperados 227.491 kWh em energia e mais de R$ 159 mil. A energia recuperada é suficiente para abastecer aproximadamente 1.264 residências, que consomem em torno de 180 kWh, durante um mês.

Já na ação realizada nesta semana, de 11 a 14 de junho, foram encontradas cerca de 80 irregularidades.

A Energisa regularizou situações de ligações clandestinas, inclusive que ofereciam perigo de acidente com a população. As ligações eram feitas direto da rede de distribuição da concessionária ocasinando perturbações no sistema prejudicando os clientes regulares. Vale lembrar que furto de energia é o ato de desviar ou 'puxar' energia da rede elétrica, sem o conhecimento e a autorização da concessionária responsável e sem qualquer tipo de registro da energia consumida. São os famosos 'gatos' ou ligações clandestinas. Já a fraude é caracterizada por um ato intencional de manipulação nos equipamentos de medição da concessionária, com o objetivo de reduzir ou 'zerar' o faturamento efetivo de uma unidade de consumo. Ambos são crimes previstos no Código Penal Brasileiro: Fraude, Artigo 171 (estelionato) e Furto, Artigo 155. A pena para esses crimes é de um a quatro anos de reclusão. Além disso, são cobrados os valores retroativos referentes ao período fraudado acrescidos de multa. Quando a fraude ou o furto são descobertos, o responsável também pode ter o seu fornecimento de energia suspenso.

Quem o pratica, além de colocar a própria vida e a de vizinhos em perigo, prejudica todos os clientes adimplentes com a distribuidora, pois a energia perdida é rateada entre todos os clientes da empresa. Por isso, o apoio da população é extremamente importante. Caso alguém identifique alguma suspeita de ligação clandestina entre em contato com a empresa pelo 0800 70 10 326 ou pelo site www.energisa.com.br em Serviços Online - Mais Serviços - Denuncie Furto de Energia. A empresa garante o anonimato de quem denúncia essa pratica irregular.

POSIÇÃO DA PREFEITURA-ENTREVISTA COM SECRETÁRIO DE HABITAÇÃO E URBANISMO-FLÁVIO ALEXANDRE

« Cesar Filho participa do Circuito Agro Banco do Brasil 2018

Rotary Club de Guarapuava apoia a transferência do Cadeião »

Deixe seu comentário:

Nome

E-Mail

Comentários